Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Bromelia balansae Mez LC

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 04-04-2012

Criterio:

Avaliador: Miguel d'Avila de Moraes

Revisor: Tainan Messina

Analista(s) de Dados: CNCFlora

Analista(s) SIG:

Especialista(s):


Justificativa

Bromelia balansae não é endêmica do Brasil e possui ampla distribuição (EOO=3.943.083 km²). Além disso, não possui ameaças descritas e está protegida por unidades de conservação (SNUC). Por estas razões a espécie foi considerada como "Menos preocupante" (LC).

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Bromelia balansae Mez;

Família: Bromeliaceae

Sinônimos:

  • > Bromelia argentina ;
  • > Karatas guianensis ;

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

A espécie foi originalmente descrita por Mez na obra Fl. bras. 3(3): 191. (1894). Espécie cespitosa, é comum estar representada em herbários apenas por partes da inflorescência jovem, brácteas ou frutos, o que dificulta ou impossibilita sua identificação (Versieux, 2005). Conhecida popularmente como "banana-do-mato-de-balansa", a espécie lembra vegetativamente Ananas bracteatus e A. fritzmuelleri, das quais se diferencia principalmente pelos frutos em forma de bagas carnosas que lembram os frutos alaranjados do bacupari; muito semelhante ainda à Bromelia antiacantha e com a qual pode ser facilmente confundida no aspecto vegetativo (Reitz, 1983).

Distribuição

A espécie é amplamente distribuída, não representando um endemismo do Brasil (Martinelli et al, 2008; Forzza et al, 2011). Ocorre aqui nas regiões Norte (Amazonas), Centro-Oeste (Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul), Sudeste (Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro) e Sul (Paraná, Santa Catarina). Ocorre também na Colômbia, Bolívia, Argentina e Paraguai (Wanderley et al, 2007). Foi registrada ocorrendo entre 480 e 1.040 m de altitude (Versieux, 2005; Versieux; Wendt, 2006).

Ecologia

Planta herbácea, terestre (Reitz, 1983; Versieux, 2005; Versieux; Wendt 2006; Wanderley et al, 2007), foi registrada com flores entre agosto e fevereiro, com floração concentrada em outubro. Frutifica entre fevereiro, março a maio (Versieux, 2005; Wanderley et al, 2007). A espécie apresenta sistema reprodutivo auto-incompatível, apresentando sindrome de polinização ornitófila (Barbosa-Filho; Araujo, 2007). Seus frutos foram registrados sendo dispersos por Tapirus terrestris (zoocoria) (Tófoli, 2006). Ocorre em Florestas Ombrófilas Densas, Florestas Ombrófilas Mistas, Florestas Estacionais Semideciduais e Deciduais (Martinelli et al, 2009). No bioma Cerrado, ocorre em Campo Cerrado, cerrado sensu stricto, Cerradão (Wanderley et al, 2007), Campos Rupestres (Versieux, 2005; Versieux; Wendt, 2006). Ocorre também nos solos muito úmidos dos subosques dos pinhais não muito densos, nas florestas aluviais e menos frequentemente no interior da floresta latifoliada do Alto Uruguai (Reitz, 1983). Todos associados aos biomas Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica (Martinelli et al, 2008; 2009; Forzza et al, 2011).

Ações de conservação

4.4 Protected areas
Situação: on going
Observações: A espécie ocorre em diversas unidades de conservação (SNUC) de diferentes categorias e estancias ao longo de sua extensa área de distribuição (e.g. Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense; Reserva Particular Do Patrimônio Natural (RPPN) Da Fazenda Da Barra; ARIE Cerrado Pé-de-Gigante; Parque Nacional da Emas; Parque Nacional da Serra do Cipó;Parque Estadual da Serra do Brigadeiro;. Parque Estadual Lago Azul) (Arrais, 1989; Batalha, 1997; Baptista-Maria; Maria 2008; Lima, 2008; Silva, 2009).

1.2.1.3 Sub-national level
Situação: on going
Observações: A espécie foi considerada "Vulnerável" (VU) em avaliação de risco de extinção empreendida para a flora do Estado do Rio Grande do sul (CONSEMA-RS, 2002).

Usos

Referências

- FORZZA, R.C.; COSTA, A.; SIQUEIRA FILHO, J.A.; MARTINELLI, G. Bromeliaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponivel em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB005957>.

- MARTINELLI, G.; VIEIRA, C. M.; GONZÁLEZ, M. ET AL. Bromeliaceae da Mata Atlântica Brasileira: Lista de Espécies, Distribuição e Conservação, Rodriguésia, Rio de Janeiro, v.59, 2008.

- LEONARDO M. VERSIEUX. Bromeliáceas de Minas Gerais: Catálogo, Distribuição Geográfica e Conservação. Mestrado. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2005.

- REITZ, R. Bromeliáceas e a Malária - Bromélia Endêmica. 1983. 808 p.

- WANDERLEY, M.G.L.; MARTINS, S.E.; COSTA, A.F. ET AL. Bromeliaceae. In: WANDERLEY, M.G.L.; SHEPHERD, G.J.; MELHEM, T.S. ET AL Flora Fanerogâmica do Estado de São Paulo. São Paulo: FAPESP, p.494, 2007.

- VERSIEUX, L.M.; WENDT, T. Checklist of Bromeliaceae of Minas Gerais, Brazil, with Notes on Taxonomy and Endemism, Selbyana, v.27, p.107-146, 2006.

- BARBOSA-FILHO, W.G.; ARAUJO, A.C. Eficiência de Polinização e Biologia Reprodutiva de Bromelia Balansae Mez (Bromeliaceae) em um Fragmento de Cerrado, Mato Grosso do Sul. Congresso de Ecologia do Brasil, 2007.

- CRISTINA FARAH DE TÓFOLI. Frugivoria e Dispersão de Sementes por Tapirus Terrestris (Linnaeus, 1758) na Paisagem Fragmentada do Pontal do Paranapanema, São Paulo. Dissertação de Mestrado. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2006.

- MARTINELLI, G.; VIEIRA, C. M.; LEITMAN, P. ET ALSTEHMANN, J. R.; FORZZA, R. C.; SALINO, A. ET AL. Bromeliaceae. 2009. 186 p.

- BAPTISTA-MARIA, V.R.; MARIA, F.S. Plano de Manejo da Reserva Particular do Patrimônio Natural Buraco das Araras - Jardim, MS, 2008.

- PEDRO AUGUSTO HAUCK SILVA. Cerrados, Campos e Araucárias: A Teoria dos Refúgios Florestais e o Significado Paleogeográfico da Paisagem do Parque Estadual de Vila Velha, Ponta Grossa - Paraná. Dissertação de Mestrado. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2009.

- THAIS TRINDADE DE LIMA. Bromeliaceae da Serra da Mantiqueira: Distribuição Geografica e Conservação. São Paulo: , 2008.

- MARCO ANTONIO BATALHA. Análise da Vegetação da ARIE Cerrado Pé-de-Gigante (Santa Rita do Passa Quatro, SP). São Paulo: Universidade de São Paulo, 1997.

- ARRAIS, M.G.M. Aspectos Anatomicos de Espécies de Bromeliaceae da Serra do Cipó - MG, com Especial Referencia a Vascularização Floral. 1989.

- CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE, RIO GRANDE DO SUL. Decreto estadual CONSEMA n. 42.099 de 31 de dezembro de 2002. Declara as espécies da flora nativa ameaçadas de extinção no estado do Rio Grande do Sul e da outras providências, Palácio Piratini, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 31 dez. 2002, 2002.

Como citar

CNCFlora. Bromelia balansae in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Bromelia balansae>. Acesso em .


Última edição por CNCFlora em 04/04/2012 - 19:37:41