Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Cryptanthus burle-marxii Leme VU

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 04-04-2012

Criterio: B1ab(iii)

Avaliador: Miguel d'Avila de Moraes

Revisor: Tainan Messina

Analista(s) de Dados: CNCFlora

Analista(s) SIG: Marcelo

Especialista(s):


Justificativa

Cryptanthus burle-marxii é endêmica do Brasil e ocorre apenas no Estado de Pernambuco. A espécietem distribuição restrita (EOO=11.276,51 km²) e poucas subpopulações são conhecidas. C. burle-marxii cresce em matas litorâneas sobre solos arenosos (Restingas) dentro do bioma Mata Atlântica. A perda de hábitat na faixa litorânea ao longo de sua distribuição (Pernambuco), e a fragmentação dos remanescentes onde ocorre representam uma ameaça para a sobrevivência da espécie na natureza. Foram identificadas cinco situações de ameaça distintas. Assim, C. burle-marxii foi classificada como "Vulnerável" (VU).

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Cryptanthus burle-marxii Leme;

Família: Bromeliaceae

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Aparentemente se assemelha a Cryptanthus zonatus (Visiani) Beer. Entretanto, se difere de C. burle-marxii pelo porte menor, pelas características de propagação vegetativa, faixas transversais e características florais (Siqueira-Filho; Leme, 2006). A espécie é morfologicamente relacionada ao C. zonatus, deste diferindo pelo porte menor, propagação por meio de estolhos longos e delgados (vs. brotos curtos axilares); o padrão foliar com faixas transversais mais esparsadamente dispostas, folhas menores, número menor de flores e sépalas mais curtas (Leme, com. pess.).

Dados populacionais

A espécie possui poucas subpopulações conhecidas, em matas do Engenho d´Água (Igarassu), sitio Pankararu e na Estação Ecológica de Caetés (Paulista), Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, na Praia do Cupe e na RPPN Nossa Senhora do Outeiro de Maracaípe. Possui cerca de 50 indivíduos conhecidos nestas subpopulações, sendo considerada "Rara", de acordo com os critérios de raridade adotados por Giulietti et al. 2009 (Siqueira-Filho; Leme, 2006; Almeida Jr. et al., 2008).

Distribuição

A espécie é endêmica do Brasil, ocorrendo exclusivamente no Estado de Pernambuco. Representa um notável endemismo do Centro de Endemismo Pernambuco (Siqueira-Filho; Leme, 2006; Giulietti et al., 2009; Forzza et al., 2010).

Ameaças

1 Habitat Loss/Degradation (human induced)
Detalhes A espécie é ameaçada por perda de habitat na faixa litorânea ao longo de sua distribuição (Pernambuco) e fragmentação dos remanescentes (Siqueira-Filho; Leme 2006).

Ações de conservação

5.7.1 Captive breeding/Artificial propagation
Situação: on going
Observações: Cultivada na coleção-viva de Bromeliaceae do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CNCFlora, 2011).

4.4 Protected areas
Situação: on going
Observações: A espécie ocorre em unidades de conservação (SNUC) públicas e particulares (RPPN's e ESEC) e subpopulações são encontradas ao longo do Corredor de Biodiversidade do Nordeste (Siqueira-Filho; Leme, 2006; Martinelli et al., 2008; Almeida Jr. et al., 2008).

1.2.1.2 National level
Situação: on going
Observações: A espécie consta no Anexo I da Instrução Normativa nº 6, de 23 de setembro de 2008 (MMA, 2008), sendo, portando, considerada oficialmente ameaçada de extinção. Consta como "Vulnerável" (VU) em avaliação de risco de extinção empreendida pela Fundação Biodiversitas (2005).

4.3 Corridors
Observações: Subpopulações da espécie são encontradas ao longo do Corredor de Biodiversidade do Nordeste (Siqueira-Filho; Leme, 2006; Martinelli et al., 2008; Almeida Jr. et al., 2008).

Referências

- LEME, E.M. Comunicação do especialista Elton M. Leme, especialista na família Bromeliaceae, para o analista de dados Eduardo Fernandez, Pesquisador do CNCFlora, 2012.

- GIULIETTI, A.M. ET AL. Plantas Raras do Brasil. 2009.

- MARTINELLI, G.; VIEIRA, C. M.; GONZÁLEZ, M. ET AL. Bromeliaceae da Mata Atlântica Brasileira: Lista de Espécies, Distribuição e Conservação. Rodriguésia, v. 59, n. 1, 2008.

- STEHMANN, J.R. ET AL. Plantas da Floresta Atlântica. 2009. 515 p.

- FORZZA, R.C.; COSTA, A.; SIQUEIRA FILHO, J.A.; MARTINELLI, G. Bromeliaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponivel em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB005994>.

- SIQUEIRA FILHO, J.A.; LEME, E.M.C. Fragmentos de Mata Atlântica do Nordeste - Biodiversidade, conservação e suas bromélias. Andrea Jakobsson Estúdio, 2006. 360 p.

- ALMEIDA JUNIOR, E. B.; OLIVO, M. A.; ARAÚJO, E. L. ET AL. Caracterização da Vegetação de Restinga da RPPN de Maracaípe, PE, Brasil, com Base na Fisionomia, Flora, Nutrientes do Solo e Lençol Freático. Acta botanica brasilica, v. 23, n. 1, p. 36-48, 2009.

- MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Instrução Normativa n. 6, de 23 de setembro de 2008. Espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção e com deficiência de dados, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 set. 2008. Seção 1, p.75-83, 2008.

- FUNDAÇÃO BIODIVERSITAS. Revisão da lista da flora brasileira ameaçada de extinção. Belo Horizonte, MG: FUNDAÇÃO BIODIVERSITAS PARA A CONSERVAÇÃO DA NATUREZA, 2005.

- Base de Dados do Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora). Disponivel em: <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/>. Acesso em: 2011.

Como citar

CNCFlora. Cryptanthus burle-marxii in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Cryptanthus burle-marxii>. Acesso em .


Última edição por CNCFlora em 04/04/2012 - 19:37:41