Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Dyckia rariflora Schult. & Schult.f. EN

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 06-02-2012

Criterio: B1ab(iii)

Avaliador: Miguel d'Avila de Moraes

Revisor: Tainan Messina

Analista(s) de Dados: CNCFlora

Analista(s) SIG:

Especialista(s):


Justificativa

Dyckia rariflora é endêmica do Brasil e ocorre exclusivamente em áreas de Campos Rupestres da Cadeia do Espinhaço no Estado de Minas Gerais. A espécie tem distribuição restrita à Serra do Itabirito e Serra do Cipó e ocupa uma área (AOO ) de apenas 36 km². O emprego secular dos Campos Rupestres como pastagens naturais, associado à mineração, às queimadas, ao extrativismo e ao desmatamento das matas de galeria comprometem a sobrevivência de muitas espécies de Bromeliaceae da Bahia e de Minas Gerais. A situação atual de ameaças a que estão sujeitas as espécies dos Campos Rupestres da Cadeia do Espinhaço torna urgente a realização de pesquisas sobre taxonomia, genética de populações e biologia reprodutiva. Foram identificadas três situações de ameaça distintas, referentes a cada uma das três localidades onde a planta ocorre. Assim, D. rariflora foi avaliada como "Em perigo" (EN).

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Dyckia rariflora Schult. & Schult.f.;

Família: Bromeliaceae

Sinônimos:

  • > Dyckia tenebrosa ;

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

É uma espécie difícil de diferenciar utilizando material seco e frequentemente são identificadas erroneamente no herbário (Versieux et al., 2008). Segundo Forzza e Wanderley (1998), essa espécie se assemelha a Dyckia saxatilis Mez, com relação ao tamanho das plantas e tipo de indumento das sépalas, podendo ser separada desta por possuir anteras basifixas e pétalas vináceas.

Dados populacionais

Há subpopulações conhecidas nos municípios de Belo Horizonte, Diamantina, Itabirito e Santana do Riacho (Versieux et al., 2008).

Distribuição

A espécie é endêmica do Brasil, ocorrendo exclusivamente no Estado de Minas Gerais (Forzza et al., 2010). Espécie endêmica da Cadeia do Espinhaço, na Serra do Itabirito, MG (Nunes-Freitas, 2004), e Serra do Cipó, MG (Nunes-Freitas, 2004; Versieux et al., 2008). Maior altitude encontrada de 1200 m (Versieux et al., 2008).

Ameaças

1 Habitat Loss/Degradation (human induced)
Detalhes O emprego secular dos campos rupestres como pastagens naturais, associado à mineração, às queimadas, ao extrativismo e ao desmatamento das matas de galeria comprometem a sobrevivência de muitas espécies de bromeliaceae da Bahia e Minas Gerais (Versieux et al., 2008).

Ações de conservação

1.2.1.3 Sub-national level
Situação: on going
Observações: A espécie foi considerada "Criticamente em perigo" (CR) na Lista vermelha da flora de Minas Gerais (COPAM-MG, 1997).

3 Research actions
Situação: needed
Observações: ​A situação atual de ameaças a que estão sujeitas as espécies da Cadeia do Espinhaço, tornam urgentes as pesquisas sobre a taxonomia, a biologia reprodutiva e a ampliação dos esforços de coleta, auxiliando, assim, na obtenção de mapas de distribuição mais exatos e que permitam ampliar as discussões biogeográficas e formular medidas conservacionistas, como a criação de novas unidades de conservação visando a preservação do maior número possível de espécies (Versieux et al., 2008).

Referências

- FORZZA, R. C.; COSTA, A. SIQUEIRA FILHO, J. A. ET AL. Dyckia in Lista de Espécies da Flora do Brasil, Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponivel em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB006046>. Acesso em: 01 de Fevereiro de 2010.

- VERSIEUX, L. M.; WENDT, T.; LOUZADA, R. B. ET AL. Bromeliaceae da Cadeia do Espinhaço. Megadiversidade, v. 4, n. 1-2, p. 99-110, 2008.

- ABDRÉ FELIPPE NUNES-FREITAS. Bromeliáceas da Ilha Grande: Variação Inter-habitats na Composição, Riqueza e Diversidade da Comunidade. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro, RJ: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2004.

- FORZZA, R.C.; WANDERLEY, M. DAS GL. Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais: Bromeliaceae-Pitcairnioideae. Boletim de Botânica da Universidade de São Paulo, v. 17, n. 1, 1998.

- CONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA AMBIENTAL, MINAS GERAIS. Deliberação COPAM n. 85, de 21 de outubro de 1997. Aprova a lista das espécies ameaçadas de extinção da flora do Estado de Minas Gerais, Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, Diário do Executivo, Belo Horizonte, MG, 30 out. 1997, 1997.

Como citar

CNCFlora. Dyckia rariflora in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Dyckia rariflora>. Acesso em .


Última edição por CNCFlora em 06/02/2012 - 17:42:20