Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Encholirium heloisae (L.B.Sm.) Forzza & Wand. EN

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 16-04-2012

Criterio: B1ab(iii)+2ab(iii)

Avaliador: Miguel d'Avila de Moraes

Revisor: Tainan Messina

Analista(s) de Dados: CNCFlora

Analista(s) SIG: Marcelo

Especialista(s):


Justificativa

Encholirium heloisae é endêmica do Brasil e ocorre exclusivamente no Estado de Minas Gerais. Tem distribuição restrita (EOO=1.627,22 km²; AOO =32 km²) à Serra do Cipó, município de Santana do Riacho. Encontra-se amplamente distribuída nessa região, porém sempre com poucos indivíduos por subpopulação, ocorrendo em solos areno-pedregosos. Por isso, foram identificadas duas situações de ameaça, considerando a ocorrência de subpopulações dentro ou fora de áreas protegidas (SNUC). A pavimentação asfáltica da estrada de acesso à região destruiu algumas subpopulações. Além disso, o fluxo de turistas deve aumentar, assim como a procura por terrenos. Esse fato pode propiciar um aumento do uso das terras nas áreas em que a espécie ocorre, causando o declínio contínuo da qualidade do hábitat. Além disso, sabe-se que o impacto das queimadas sobre as populações de Encholirium, apesar de não quantificado, pode ter efeitos drásticos na sobrevivência e no recrutamento dos indivíduos. Assim, a espécie foi avaliada como "Em perigo" (EN).

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Encholirium heloisae (L.B.Sm.) Forzza & Wand.;

Família: Bromeliaceae

Sinônimos:

  • > Dyckia heloisae ;
  • > Encholirium sazimae ;

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Sépalas e pedicelos verdes ou verde-amarelados e brácteas florais estramíneas ou levemente esverdeadas, além de lanceoladas e relativamente desenvolvidas. Também apresenta pétalas completamente verdes (Forzza, 2001).

Distribuição

A espécie ocorre exclusivamente no Estado de Minas Gerais. É endêmica da Serra do Cipó, Município de Santana do Riacho. Encontra-se amplamente distribuída nesta região, ocorrendo sempre em solos areno-pedregosos (Forzza, 2001). A espécie pode ser encontrada em varios locais da Serra do Cipó, mas sempre em pequenas subpopulações, a maioria delas fora do PARNA (Forzza com. pess.) Além disso, grande parte da população de E. heloisae está na APA Serra do Cipó. Porém, apesar da APA ter algum grau de proteção, muitas das subpopulações estão em área de pastoreio de gado (Forzza com. pess.).

Ecologia

A espécie é encontrada entre 1000-1300 m de altitude, possuí hábito rupícola, saxícola, terrícola (Versieux; Wendt, 2006). Apresenta de 25,0-50,0 cm de alt, e ocorre de forma isolada ou formando pequena touceira (Forzza, 2001). A espécie apresenta evidência da ocorrência de mecanismos de auto-incompatibilidade, devido a formação anômala de frutos oriundos de autopolinização. Esses dados demonstram que E. heloisae depende da ação de polinizadores para seu sucesso reprodutivo (Forzza, 2003) Sob condições de polinização controlada e protegida da ação de herbívoros, uma inflorescência de E. heloisae pode produzir cerca de 500 sementes (Forzza et al., 2003).

Ameaças

1.1.4 Livestock
Detalhes Ocorre na APA Serra do Cipó, onde muitas subpopulações estão presentes. No entanto, a presença de áreas de pastoreio de gado dentro da APA são uma ameaça para a espécie.

1.3.1 Mining
Detalhes A maior ameaça às espécies de Encholirium é a degradação de habitat devido à extração de rochas calcárias e graníticas (Forzza et al., 2003) De acordo com Tarré et al., (2007) a espécie, endêmica da Cadeia do Espinhaço está exposta a risco de erosão genética ou mesmo de extinção.

8 Changes in native species dynamic
Detalhes Declínio das condições ambientais ótimas (Biodiversitas, 2005).

1.4 Infrastructure development
Detalhes Aparentemente, as espécies de Encholirium que ocorrem nos campos rupestres estão sob menor risco imediato de redução populacional por perda de hábitat, quando comparadas aquelas que ocorrem em afloramentos de calcário e granitos. No entanto, esta situação pode ser rapidamente alterada. No caso específico da Serra do Cipó, muitos proprietários locais esperam que com a pavimentação asfáltica da MG-010 o fluxo de turistas seja incrementado, havendo valorização das terras e maior procura de lotes para a implatação de chácaras e casas de veraneio e pousadas. Este fato pode ocasionar o aumento de uso das terras nas áreas em que esta espécie ocorre (Forzza et al., 2003)

1.7 Fire
Detalhes Sabe-se que o impacto das queimadas sobre as populações de Encholirium, apesar de não quantificado, pode ter efeitos drásticos na sobrevivência e no recrutamento dos indivíduos. Embora tenha sido observada a tolerância de alguns indivíduos de E. heloisaeresistem ao fogo, outros não rebrotam após a ocorrência deste evento. É possível que a sobrevivência destas plantas esteja relacionada à frequência de queimadas e ao estádio de desenvolvimento em que são atingidas (Forzza et al., 2003).

Ações de conservação

1.2.1.2 National level
Situação: on going
Observações: A espécie foi considerada "Deficiente de Dados" (DD) na Lista vermelha da flora do Brasil (MMA, 2008), anexo 2.

1.2.1.3 Sub-national level
Situação: on going
Observações: A espécie foi considerada "Vulnerável" (VU) na Lista vermelha da flora de Minas Gerais (COPAM-MG, 1997).

5.7 Ex situ conservation actions
Situação: needed
Observações: Conservação ex situ (Tarré, 2005)

4.4 Protected areas
Situação: on going
Observações: Ocorre na APA Serra do Cipó, onde muitas populações estão presentes. No entanto, a presença de áreas de pastoreio de gado dentro da APA são uma ameaça para a espécie.

3.8 Conservation measures
Situação: on going
Observações: Forzza et al (2003) considera a espécie "Vulnerável" (VU) segundo os critérios e categorias da IUCN.

Referências

- RAFAELA CAMPOSTRINI FORZZA. Filogenia da Tribo Puyeae Wittm. e Revisão Taxonômica do Gênero Encholirium Mart. ex Schult. & Schult. F. (Pitcairnioideae - Bromeliaceae). Tese de Doutorado. São Paulo, SP: Universidade de São Paulo, 2001.

- CONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA AMBIENTAL, MINAS GERAIS. Deliberação COPAM n. 85, de 21 de outubro de 1997. Aprova a lista das espécies ameaçadas de extinção da flora do Estado de Minas Gerais, Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, Diário do Executivo, Belo Horizonte, MG, 30 out. 1997, 1997.

- TARRÉ, E.; PIRES, B. B. M.; GUIMARÃES, A. P. M. ET AL. Germinability After Desiccation, Storage and Cryopreservation of Seeds from Endemic Encholirium Mart. Ex Schult. & Schult. F. and Dyckia Schult. & Schult. F. Species (Bromeliaceae). Acta Botânica Brasílica, v. 21, n. 4, p. 777-783, 2007.

- RAFAELA CAMPOSTRINI FORZZA. Pitcairnioideae (Bromeliaceae) na Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil. Dissertação de Mestrado. São Paulo, SP: Universidade de São Paulo, 1997.

- VERSIEUX, L.; WENDT, T. Checklist of Bromeliaceae of Minas Gerais, Brazil, with Notes on Taxonomy and Endemism. Selbyana, v. 27, n. 2, p. 107-146, 2006.

- FUNDAÇÃO BIODIVERSITAS. Revisão da lista da flora brasileira ameaçada de extinção. Belo Horizonte, MG: FUNDAÇÃO BIODIVERSITAS PARA A CONSERVAÇÃO DA NATUREZA, 2005.

- ERIKA SPANGENBERG TARRÉ BORGES. Conservação Ex situ de Espécies Endêmicas e Ameaçadas de Dyckia e Encholirium (Bromeliaceae). Tese de Doutorado. Rio de Janeiro, RJ: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2005.

- FORZZA, R. C.; CHRISTIANINI, A. V.; WANDERLEY, M. G. L. ET AL. Encholirium (Pitcairnioideae - Bromeliaceae): Conhecimento Atual e Sugestões para Conservação. Vidalia, v. 1, n. 1, p. 7-20, 2003.

- MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Instrução Normativa n. 6, de 23 de setembro de 2008. Espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção e com deficiência de dados, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 set. 2008. Seção 1, p.75-83, 2008.

- FORZZA, R.C. Comunicação pessoal da especialista botânica Rafaela Campostrini Forzza para os analistas de dados Diogo Marcilio Judice, Eduardo Pinheiro Fernandez, Rafael Augusto Xavier Borges e Thiago Serrano de Almeida Penedo, pesquisadores do CNCFlora., 2011.

Como citar

CNCFlora. Encholirium heloisae in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Encholirium heloisae>. Acesso em .


Última edição por CNCFlora em 16/04/2012 - 19:02:36