Portal do Governo Brasileiro
2012 - Livro Vermelho 2013

Pitcairnia albiflos Herb. EN

Informações da avaliação de risco de extinção


Data: 17-04-2012

Criterio: B1ab(iii)+2ab(iii)

Avaliador: Miguel d'Avila de Moraes

Revisor: Tainan Messina

Analista(s) de Dados: CNCFlora

Analista(s) SIG:

Especialista(s):


Justificativa

Pitcairnia albiflos é endêmica do Brasil e ocorre exclusivamente no Estado do Rio de Janeiro. Espécie rupícola ou saxícola e heliófila, forma agrupamentos como ilhas de vegetação sobre afloramentos rochosos litorâneos. Tem distribuição restrita (EOO=169,34 km²) e, devido as suas características ecológicas, ocupa uma área (AOO ) de apenas 48 km². As subpopulações de P. albiflos vêm sofrendo com a invasão de espécies de gramíneas exóticas, o pisoteio e o esmagamento por escaladores, além dos incêndios anuais, fatores que causam o declínio contínuo da qualidade do hábitat e a perda de indivíduos maduros nas subpopulações. Algumas subpopulações estão localizadas em áreas protegidas, outras não. Assim, as localidades foram agrupadas considerando duas situações de ameaça distintas. Por essas razões, P. albiflos foi avaliada como "Em perigo" (EN).

Taxonomia atual

Atenção: as informações de taxonomia atuais podem ser diferentes das da data da avaliação.

Nome válido: Pitcairnia albiflos Herb.;

Família: Bromeliaceae

Sinônimos:

  • > Cochliopetalum albiflos ;
  • > Cochliopetalum flavescens ;
  • > Cochliopetalum odoratum ;
  • > Cochliopetalum schuechii ;
  • > Conanthes albiflos ;
  • > Hepetis albiflos ;
  • > Pitcairnia albiflora ;
  • > Pitcairnia elata ;
  • > Pitcairnia flavescens ;
  • > Pitcairnia odorata ;
  • > Tillandsia schuchii ;

Mapa de ocorrência

- Ver metodologia

Informações sobre a espécie


Notas Taxonômicas

Uma das poucas espécies de Pitcairnia de flores esbranquiçadas (Leme, 1993). Frequentemente, P. albiflos é determinada erroneamente como P. flammea e P. staminea. Ao contrário de P. flammea, as outras duas apresentam pétalas simetricamente recurvadas na ântese. P. staminea e P. albiflos podem ser facilmente diferenciadas no campo pela cor de suas flores. A maioria dos equívocos referentes a determinação destes taxa foi feito em material seco, uma vez que a coloração muitas vezes é perdida e pode induzir ao erro taxonômico (Wendt; Chamas 1997). Foi descrita na obra Bot. Mag. 53: t. 2642. (1826).

Dados populacionais

Não há dados populacionais quantificados para todas as subpopulações conhecidas desta espécie. Wendt et al. (2001), fornecem alguns dados sobre a abundância desta espécie, descrevendo as subpopulações como abundantes (Pão de Açúcar). Domingues et al. (2011), ao analisarem três subpopulações de P. albiflos, indicaram que a espécie apresenta baixa variabilidade genética entre indivíduos da mesma subpopulação.

Distribuição

A espécie é endêmica do Brasil, ocorrendo exclusivamente no Estado do Rio de Janeiro (Martinelli et al., 2008; Forzza et al., 2012). Espécie com registros apenas para os Inselbergs litorâneos dos municípios de Rio de Janeiro e Niterói (RJ) (Wendt; Chama, 1997; Barros, 2008). Espécie coletada até cerca de 860 m, na parte alta da Pedra da Gávea, Parque Nacional da Tijuca (RJ), na área do município do Rio abrangida pelo Corredor de Biodiversidade Serra do Mar da Mata Atlântica (Martinelli et al., 2008).

Ecologia

Espécie rupícola ou saxícola, heliófila; forma agrupamentos sobre a rocha nua, distribuídas sobre o afloramento rochosos em ilhas de vegetação. Foi registrada com flores entre os meses de abril a agosto (Wendt et al. 2001). Ocorre simpátricamente a P. staminea, com o registro de diversas subpopulações hibridas entre os dois taxa (Wendt et al., 2001).

Ameaças

2 Invasive alien species (directly affecting the species)
Incidência local
Severidade medium
Detalhes P. albiflos vêm sofrendo com a invasão de espécies de gramíneas exóticas (Domingues et al., 2011).

1.7 Fire
Incidência local
Severidade medium
Detalhes A população de P. albiflos vêm sofrendo com incêndios anuais (Domingues et al., 2011).

10.1 Recreation/tourism
Incidência local
Severidade very low
Detalhes A ação de escaladores nas encostas rochosas aonde a espécie ocorre têm representado uma ameaça a perpetuação da espécie na natureza (Domingues et al., 2011).

Ações de conservação

1.2.1.2 National level
Situação: on going
Observações: A espécie consta no Anexo II da Instrução Normativa nº 6, de 23 de setembro de 2008 (MMA, 2008), sendo considerada, portanto, "Deficiente de Dados" (DD).

4.4 Protected areas
Situação: on going
Observações: Possuí registros dentro do Parque Nacional da Tijuca e Parque Estadual da Serra da Tiririca, nos municípios do Rio de Janeiro e Niterói, respectivamente (Wendt; Chamas 1997; Barros, 2008).

5.7 Ex situ conservation actions
Situação: on going
Observações: Estão depositados na coleção científica de Bromeliaceae do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro 106 indivíduos de P. albiflos resgatados da obra executada pelo governo do estado para a implantação de sistema metroviário na Barra da Tijuca (Forzza com. pess.).

Referências

- DOMIGUES, R. ET AL. Genetic variability of an endangered Bromeliaceae species (Pitcairnia albiflos) from the Brazilian Atlantic rainforest, Genetics and Molecular Research, v.10, 2011.

- MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Instrução Normativa n. 6, de 23 de setembro de 2008. Espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção e com deficiência de dados, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 set. 2008. Seção 1, p.75-83, 2008.

- FORZZA, R.C. ET AL. Bromeliaceae. In: Lista de Espécies da Flora do Brasil. Disponivel em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/FB000066>.

- ANA ANGÉLICA DE BARROS. Análise florística e estrutural do Parque Estadual da Serra da Tiririca, Niterói e Maricá, RJ, Brasil. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro, RJ: Escola Nacional de Botânica Tropical - Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2008.

- WENDT, T.; COSTA, C.C. As Pitcairnias do leste do Brasil - suas verdadeiras identidades, Bromélia, 1997.

- MARTINELLI, G.; VIEIRA, C. M.; GONZÁLEZ, M. ET AL. Bromeliaceae da Mata Atlântica Brasileira: Lista de Espécies, Distribuição e Conservação. Rodriguésia, v. 59, n. 1, 2008.

- BENZING, D. H. Bromeliaceae: Profile of an Adaptive Radiation. 2000.

- SIQUEIRA FILHO, J.A.; LEME, E.M.C. Fragmentos da Mata Atlântica do Nordeste - Biodiversidade, Conservação e suas Bromélias. Andrea Jakobsson Estúdio, 2006. 360 p.

- LEME, E.M.C. Bromélias na Natureza. Rio de Janeiro, RJ: Marigo Comunicação Visual, 1993. 101-102 p.

- WENDT, T. Hybridization and reproductive isolation between four Pitcairnia species in Brazilian rocky outcrops, Journal of Bromeliad Society, v.51, 2001.

- WENDT, T. ET AL. Reproductive biology and natural hybridization between two endemic species of Pitcairnia (Bromeliaceae), American Journal of Botany, v.88, n.10, 2001.

- FORZZA, R.C. Comunicação da especialista Rafaela C. Forzza, especialista na família Bromeliaceae, para o analista de dados Eduardo Fernandez, Pesquisador do CNCFlora, 2012.

Como citar

CNCFlora. Pitcairnia albiflos in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Pitcairnia albiflos>. Acesso em .


Última edição por CNCFlora em 17/04/2012 - 13:39:10